Edifício Altino Arantes: ícone do Centro de São Paulo

Tempo de Leitura: 5 minutos

Atualizado em 02/05/2024 por Sylvia Leite

Imagem do Edificio Altino Arantes em instalação do Farol Santander - Foto de Sylvia Leite - BLOG LUGARES DE MEMORIAHistoricamente conhecido como Prédio do Banespa – o antigo banco estatal de São Paulo -, e rebatizado como Farol Santander depois da aquisição pela empresa espanhola, o Edifício Altino Arantes é um dos primeiros arranha-céus de São Paulo e durante quase duas décadas ocupou a posição de prédio mais alto não apenas da cidade, mas também da América do Sul. Em 2018, após uma restauração, foi transformado em Centro Cultural e passou a abrigar a memória do prédio e da capital paulista na época de sua construção. Além disso, mantém vivo o Museu Banespa que reúne mais de duas mil peças e exibe os ambientes que foram usados por sua diretoria.

O Edifício tem 35 andares,161 metros de altura, 900 degraus, mais de mil janelas e levou oito anos para ficar pronto. Ao ser inaugurado, em 1947, foi considerado a maior construção de concreto armado do mundo. Isso porque os demais arranha-céus que existiam mundo afora eram feitos com estrutura metálica ou tinham Infográfico com detalhes do Edifício Altino Arantes - Foto de Sylvia Leite - BLOG LUGARES DE MEMORIAcomposição mista, de metal e concreto.

O projeto do Edifício Altino Arantes foi concebido pelo engenheiro Plínio Botelho do Amaral, mas a construtora Camargo & Mesquita, responsável pela obra, fez algumas alterações a fim de torná-lo semelhante ao americano Empire State Building, de Nova Iorque, concebido em estilo Art-Déco.

A construção do Edifício Altino Arantes ocorreu logo após uma fase de grande expansão do Banespa, que na época se chamava Banco de Crédito Hipothecário e Agrícola do Estado de São Paulo. O nome Altino Arantes foi adotado tardiamente em alusão ao primeiro presidente brasileiro do banco, pois até 1919 o Estado de São Paulo era sócio minoritário e o banco era controlado por acionistas franceses.

O centro cultural Farol Santander

Móveis do antigo Banespa - Foto de Sylvia Leite- BLOG LUGARES DE MEMORIAA história do Banespa e da cidade de São Paulo na época da construção do Edifício Altino Arantes, e em suas primeiras décadas, é contada em linguagens diversas nos vários andares do Farol Santander. Uma parte dessa memória vem de forma nua e crua com os ambientes originais do antigo banco que além de resgatarem o modo de funcionamento de uma instituição bancária em meados do século 20, exibe uma impressionante coleção de móveis produzidos artesanalmente pelo Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo.

O aspecto mais artístico desse registro histórico coube ao artista plástico Vik Muniz, que se inspirou em sua memória de infância para criar a instalação fotográfica “Vista 360º, reunindo vários ângulos pelos quais o visitante pode admirar São Paulo a partir do mirante instalado na torre do prédio. Para executar essa obra, o artista utilizou Instalação de Vik Muniz no Farol Santander - Foto de Sylvia Leite - BLOG LUGARES DE MEMORIAcerca de quatro toneladas de entulhos da reforma do edifício como tijolos, pregos, arames e capacetes.

Os recursos tecnológicos entram em cena para apresentar, de forma dinâmica e colorida, a linha do tempo do Edifício Altino Arantes e as mudanças ocorridas no Centro de São Paulo desde sua construção. A instalação é composta por um jogo de espelhos que combina luzes, sons e animações, incluindo a imagem do visitante nessa mescla de informações.

Outros andares do Edifício Altino Arantes são ocupados de forma mais comercial com uma sala para debates, uma pista de skate, uma escola de gastronomia e um espaço para eventos com área de 400 metros quadrados. E como já é comum em todo centro cultural, o Farol Santander também tem uma loja, um café e um bar. O diferencial é que este último foi montado dentro do antigo cofre forte do banco.

Edifício Altino Arantes: patrimônio de São Paulo

Além de ser reconhecido pelos paulistanos como patrimônio da cidade, e de estar em seu imaginário como o principal símbolo da região central, o Edifício Altino Arantes foi oficialmente tombado pelo Conselho de Defesa doHall de entrada do Edifício Altino Arantes - Foto de Sylvia Leite - BLOG LUGARES DE MEMORIA Patrimônio Histórico, Artístico Arqueológico e Turístico (CONDEPHAAT) – órgão subordinado à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

Sua imagem incomum destaca-se em meio à selva de pedra do centro histórico. Já sua torre ganhou fama por oferecer a famosa vista de 360 graus, tão bem retratada por Vik Muniz. Em dias mais claros, a visibilidade pode chegar alcançar o Pico do Jaraguá e a Serra do Mar, a alguns quilômetros de distância. A vista inclui, ainda a  Avenida Paulista, prédios famosos do Centro, como o Copan e o Edifício Itália, além de marcos históricos da cidade, como a Catedral da Sé e o Mercado Municipal.

A vista privilegiada do Edifício Altino Arantes deve-se não apenas à estatura do prédio – que desde a década de 1960 já não é o mais alto da cidade – mas também ao fato de estar localizado no ponto mais elevado do Centro. Para que se pudesse usufruir ainda mais dessa vista, a torre ganhou duas pequenas plataformas com cadeiras – uma em cada lado do prédio – de onde os visitantes admiram a tudo isso sentados e sem pressa.1

Edifício Altino Arantes – São Paulo – São Paulo – Brasil – América do Sul

Texto

Fotos

  • Sylvia Leite

Referências

Compartilhe »
Increva-se
Notificar quando
guest

18 Comentários
Avaliações misturadas ao texto
Ver todos os comentários
Marlene
Marlene
9 meses atrás

Maravilhoso esse resgate dos detalhes técnicos, artísticos e histórico desse ícone, símbolo do estado São Paulo!
Também presente na memória afetiva dos paulistas.
Parabéns pela matéria

Margareth
Margareth
9 meses atrás

É realmente um prédio imponente, suntuoso e com muitas atrações interessantes. Provavelmente muitos paulistanos não conhecem e nunca entraram nessa construção que é cartão postal da cidade!

Alexandre J A Mattos
Alexandre J A Mattos
9 meses atrás

Quando eu trabalhava na Praça João Mendes costumava passear por essas bandas e fiz inúmeras visitas a prédios históricos como o do Banco do Brasil, hoje museu ( fui a inúmeros eventos), o Martinelli, que acredito ser o mais bizarro e suas histórias vão além da imaginação ( não é por menos que ele faz parte do turismo paranormal, que é uma atração da cidade), mas desconhecia a história do Prédio do Banespa ( ainda as pessoas, que trabalham naquelas adjacências, o chamam assim), após ler a sua reportagem, me deu vontade de conhecê-lo, o que,certamente, farei em breve! Parabéns Sylvinha e obrigado pelas informações, xox

Josefa Amorim
Josefa Amorim
9 meses atrás

Parabéns, Sylvia … muito bem redigido , quando for a S Paulo, vou querer visita-lo…

Josefa Amorim
Josefa Amorim
Resposta a  Sylvia Leite
9 meses atrás

Foi ótimo reativar essa memória cultural Peulistana , centro de ótima gastronomia, teatros e vida cultural, amei a reportagem.. quando for a S Paulo, vou sim , visitar o mirante do Edf Altimo Arantes….

Glicia Salmeron
Glicia Salmeron
9 meses atrás

Muito interessante esse texto, Sylvia! Gostei de saber que o prédio é preservado e oferece serviços que levam pessoas a ter oportunidade de desfrutar dessa bela vista do centro de São Paulo e entorno. Quero conhecer mais um pouco dessa beleza, quando for a SP. Obrigada por nos apresentar essa opção com a riqueza de detalhes do texto. Muito bom!

Francisco Alves de Oliva
Francisco Alves de Oliva
9 meses atrás

Parabéns Silvinha! Bela e importante reportagem! Vc está contribuindo muito para o conhecimento do patrimônio cultural da cidade de São Paulo, e do Brasil! Beijão, amiga!

Ana
Ana
9 meses atrás

Não lembro de ter ido no Edifício Altino Arantes quando estive em São Paulo, de fato há muitos prédios históricos interessantes na cidade.

Sonia Pedrosa
9 meses atrás

Prédio lindo, sempre me chamou muito a atenção. Da próxima vez que for a São Paulo, vou visitá-lo.