Casas de Papai Noel: da Lapônia ao Brasil

Tempo de Leitura: 8 minutos

Atualizado em 24/12/2022 por Sylvia Leite

Casa de Papai Noel na Finlândoia - Foto de Ulla - Domínio Público - BLOG LUGARES DE MEMORIAQuando somos crianças, nos ensinam que Papai Noel vive no Pólo Norte e atravessa o mundo pelos céus para nos trazer presentes na noite de Natal. Ao crescermos, e pesquisarmos um pouco, podemos descobrir que o local exato da moradia do bom velhinho – pelo menos o mais visitado – é a cidade de Rovaniemi, na região finlandesa da Lapônia, e que sua residência de verão fica no Brasil.

Essas são algumas das narrativas atuais, criadas por marqueteiros das respectivas cidades. No caso da Lapônia, sua designação como “Província do Papai Noel” foi anunciada em 1984, pelo Departamento de Turismo da Finlândia. No ano seguinte, Rovaniemi já inaugurava a Vila de Papai Noel (Santa Park) e sua famosa agência de correios onde hoje chegam cartas de crianças do mundo inteiro.

Nada mau para uma cidade que foi arrasada tanto por russos como por alemães durante a Segunda Guerra Mundial e que, embora reconstruída pelo arquiteto Alvar Aalto, ainda se ressentia desse trauma quase meio século depois.

Famosa imagem de Papai Noel - Ilustração de Thomas Nast - BLOG LUGARES DE MEMORIAMas esse endereço de Papai Noel não foi de todo inventado pelos finlandeses, que apenas ‘puxaram a sardinha’ para seu território. A ideia de que o bom velhinho habitava em montanhas geladas da região Norte, e ali permanecia entre um Natal e outro, já era divulgada nos Estados Unidos, por imigrantes europeus, durante o século 19. Só que no imaginário americano,  a moradia do velhinho era no próprio Pólo Norte, que fica bem mais acima da Finlândia.

Duas obras podem ter sido responsáveis pela consolidação da ideia de que o personagem natalino era um habitante do gelo. A primeira foi uma ilustração de autor desconhecido, publicada na revista morte-americana Harper’s Weekly, em 1857, que retratava o velhinho junto a um castelo de gelo.

Já a segunda, bem mais explícita, veio cerca de dez anos depois e foi reforçada por uma legenda, em letras miúdas, onde se lia: “Santa Claussville, N.P.” (Vilarejo do Papai Noel, Polo Norte”). Seu autor, Thomas Nast, foi provavelmente o artista que mais divulgou a figura desse personagem com o nome e as características atuais e a ilustração que publicamos aqui é, provavelmente, a mais famosa imagem histórica do personagem.

A disputa pela casa de Papai Noel

Casa de Papai Noel na Finlandia - Foto de By Timo Newton-Syms - BLOG LUGARE DE MEMORIAes de memoriaMas nem pensem que os americanos foram os primeiros a declarar a região Norte como a morada do personagem. Há quem diga que uma lenda do século 6 já localizava a casa de Papai Noel nas geleiras da Groenlândia (território autônomo da Dinamarca) e foi com esse argumento que os dinamarqueses defenderam a tese de que a maior ilha do mundo é a verdadeira casa do velhinho.

E não é somente a Groelândia que se sente no direito de ostentar esse título. Os suecos vão ainda mais longe: não satisfeitos em competir com  dinamarqueses e finlandeses pela nacionalidade de Papai Noel, ainda brigam entre si pelo local onde acreditam estar sua verdadeira casa: Arvidsjaur, na Lapônia sueca,ou Mora, no Sul do país.

As disputas ocorrem em congressos oficiais de papais noéis normalmente realizados nos países nórdicos que, por sua localização geográfica, são os pretendentes mais habilitados para sediar a casa do velhinho. Em 2003, por exemplo, os dinamarqueses conseguiram que papais noéis do mundo inteiro, reunidos no 40º Congresso Mundial Portal de entrada para a Casa de Papai Noel de Penedo - Foto do site Penedo.com - BLOG LUGARES DE MEMORIAde Papais Noéis, decidissem que a casa oficial do personagem natalino fica na Groelândia e não em Rovaniemi, na Finlândia.

E, para completar, há quem ‘prove cientificamente’ que para Papai Noel conseguir entregar presentes a todas as crianças ‘bem comportadas’ do mundo, ele só pode residir no Quirguistão, país da Ásia Central. A afirmação se baseia em estudo realizado pela empresa de consultoria Sweco, com sede em Estocolmo, considerando a quantidade de residências a serem visitadas e sua localização.

Mas há casas de Papai Noel pelo mundo inteiro, inclusive, como já foi dito lá no início, no Brasil. Uma delas está em Gramado, onde o clima e a cultura nos fazem lembrar dos países nórdicos. Mas como em marketing tudo é possível, a outra foi construída no ensolarado Rio de Janeiro e, pasmem, com o aval de Rovaniemi (cidade que abriga a casa mais tradicional) e inaugurada pelo Papai Noel Oficial da Finlândia. É que o local de construção da casa é a cidade de Penedo, um distrito de Itatiaia que abriga a maior colônia finlandesa do país.

A verdadeira origem de tudo

Julbock_gransmycke - Foto sem indicação de autor em Wikimedia - BLOG LUGARES DEMEMORIAAo que tudo indica, não há apenas uma verdadeira origem de Papai Noel, mas, certamente, as lendas e mitos que o inspiraram tinham elementos comuns entre si e com o personagem atual. Em Finlandês, por exemplo, a palavra para Papai Noel é Joulupukki ou Julbock, que significa “Cabra do Natal” e vem de uma tradição anterior à época Cristã. Inicialmente, as cabras estariam ligadas ao deus Thor, que, como o atual Papai Noel, voava pelos ares puxado por animais, so que na lenda finlandesa os animais eram cabras ou bodes.

Entre aquela época e os dias atuais, o Julbock atravessou várias fases. Por um certo período, provavelmente por preconceito religioso, a Cabra do Natal foi associada a forças do mal e passou a ser vista como uma criatura feia, que aterrorizava as crianças. Essa imagem foi amenizada com o tempo, quando passou a ser associada à manjedoura e ao nascimento de Cristo, mas não perdeu seu o caráter assustador. Nas noites de Natal, camponeses produziam cabras de palha para deixar nas casas com mensagens de zombaria ou se disfarçavam nos animais para provocar medo nas crianças.

Somente no século 19 é que surgiu a tradição dos presentes. A partir daí, confeccionava-se Cabras para presentear as pessoas, especialmente as crianças, no Natal. Outra prática era vestir-se de cabra ou de bode para presentear as crianças. A imagem da cabra segure viva na Finlândia, mas hoje essa tradição de confunde com a do Papai Noel globalizado.

O festival do Solstício de Inverno

Imagem de Papai Noel com aparência de duende - Foto de  Annette Meyer em Pixabay - BLOG LUGARES DE MEMORIAJá na Dinamarca, o nome usado para designar Papai Noel é Julemanden, que significa Homem (ou Mulher ) do Yule ou Jul – um festival que marca a passagem do Solstício de Inverno, que, no hemisério Norte, ocorre entre os dias 20 e 21 de dezembro. É também o nome usado atualmente para designar o Natal.

Julemanden é retratado da mesma forma que o Papai Noel de outros lugares, com roupas vermelhas, barbas brancas e longas e vários quilos além do peso ideal. Mas, como já foi dito aqui, os dinamarqueses acreditam que ele vive na Groelândia e não na Finlândia.

Para os dinamarqueses, a origem do personagem pode estar em uma figura lendária que também se chama Julemanden, ou Julenissen, mas diferente do Papai Noel é um homem ou mulher de estatura baixa, associado aos duendes ou elfos. Em algumas versões, distribuem presentes e, em outras, protegem pessoas e até lugares como casas e fazendas, mas podem ser perigosos quando estão descontentes.

O Cristianismo por trás de tudo

São Nicolau - Dominio Público - BLOG UGARES DE MEMORIAHá quem afirme que essa e outras tradições estão ligadas, em sua raiz, a um bispo cristão, conhecido como São Nicolau de Mira ou Nicolau Taumaturgo que viveu no território onde hoje se localiza a Turquia, entre os séculos 3 e 4 de nossa era. A evidência da ligação entre ele e o Papai Noel estaria em suas barbas brancas, roupas vermelhas que ele usava em algumas ocasiões e, principalmente, no fato de ser tido como um velhinho caridoso que distribuía presentes. Seu nome teria sido escondido em algumas regiões, como Finlândia e Dinamarca, por questões religiosas.

Nicolau teria herdado uma grande fortuna de seus pais e distribuído grande parte dos recursos com os pobres. O caso mais famoso foi de um pai que teria decidido prostituir as filhas por não ter como mantê-las e, muito menos, para conseguir o dinheiro relativo ao dote que os homens da época exigiam dos pais das respectivas noivas para que o casal pudesse iniciar a vida com tranquilidade.

Ao saber do caso, Nicolau teria presenteado esse pobre homem com dinheiro necessário aos ‘dotes’ das moças. A doação teria ido feita na noite de 24 para 25 de dezembro, e, segundo algumas versões, o bispo teria entrado na casa onde o homem morava com suas três filhas pela chaminé – o mesmo recurso utilizado por Papai Noel.

São Nicolau ou Odin?

São Nicolau e Odin - Autor desconhecido e Georg von Rosen em Wikimedia - BLOG LUGARES DE MEMORMas, para complicar ainda mais essa história, Nicolau às vezes é confundido, ou pelo menos comparado com Odin – o deus mais poderoso da tradição Nórdica, que era encarregado de distribuir presentes. Esse deus assemelhava-se ao Papai Noel tanto por ser um velhinho de barbas brancas, como por realizar seu trabalho montado em um cavalo de oito patas (alusão às oito renas do trenó). A diferença é que Odin – conhecido pelos germânicos como Wotan – fazia sua distribuição Yule ou Jói – o festival do Solstício de Inverno citado anteriormente.

As informações sobre as lendas que inspiraram o personagem de Papai Noel são imprecisas, confusas e às vezes se misturam, talvez porque as próprias tradições tenham se misturado ao longo do tempo. No Natal finlandês, por exemplo, Papai Noel tem como ajudante um elfo bem semelhante ao original Julemanden. Por isso, é interessante olharmos para essas informações  – pelo menos para o que está relatado aqui – apenas como referências de elementos simbólicos e não como relatos históricos precisos.

O verdadeiro significado do Natal

Presépio - Foto de Imagem de Alexa em Pixabay - BLOG LUGARES DE MEMORIAConhecer o que está por trás do personagem atual talvez apazigue aqueles que consideram o Papai Noel um ‘ladrão’ do Natal pelo fato de sua sedutora imagem se sobrepor à verdadeira comemoração da data que é o nascimento de Jesus Cristo, por não ter ligação simbólica com a data religiosa e por estar supostamente mais ligado ao aspecto consumista do evento.

Por outro lado, provoca uma reflexão: nos leva a pensar se o resgate dessas lendas, e sua inclusão nas comemorações natalinas, não seria uma saída para tornar o Natal mais autêntico e menos comercial.1

Notas

Casas de Papai Noel – Rovaniemi e Penedo – Lapônia e Rio de Janeiro – Finlândia e Brasil – Europa e América do Sul

Texto

Fotos

Referências

  • Aldeia oficial de Papai Noel na Finlândia
  • G1/Globo - Finlândia e Groelândia disputam cada de Papai Noel
  • iBahia - O Papai Noel e o Natal em outros idiomas
Compartilhe »
Increva-se
Notificar quando
guest
4 Comentários
Avaliações misturadas ao texto
Ver todos os comentários
Maria Consuelo
Maria Consuelo
1 ano atrás

Muito interessante, Sylvinha!
Você, como sempre, arrasando!

Sonia Pedrosa
1 ano atrás

Sylvinha, adoro conhecer essas lendas! E sou doida pra conhecer a casa de Papai Noel em Rovaniemi! Acho que a casa dele fica na Finlândia… rsrsrs