Santo Antônio Além do Carmo: cultura e religiosidade

Tempo de Leitura: 7 minutos

Atualizado em 11/09/2023 por Sylvia Leite

Cruz de Pascoal - Foto de Sylvia Leite - BLOG LUGARES DE MEMÓRIAUma vista privilegiada da Baía de Todos os Santos, com a ilha de Itaparica ao fundo, casarios coloridos e restaurantes charmosos têm sido as principais iscas para turistas do mundo inteiro incluírem Santo Antônio Além do Carmo em suas visitas a Salvador. Mas para alcançar tudo isso é preciso passar pelo Largo da Cruz do Pascoal e é nesse ponto que se encontra sua construção mais característica – um pequeno monumento que marca o limite inicial do bairro e teria sido erguido por um cidadão comum. O suposto autor dessa preciosidade, Pascoal Marques de Almeida, é descrito apenas como um português, mas seu pequeno monumento tornou-se ícone do bairro e foi tombado pelo Iphan.1

O monumento foi batizado oficialmente como Oratório da Cruz do Pascoal. A cruz, quase imperceptível, é proporcionalmente pequena e fica no topo da construção. O que enche a vista do visitante é a coluna revestida por azulejos portugueses e o nicho que guarda uma imagem de Nossa Senhora do Pilar. O monumento foi construído em 1743 e conseguiu se manter de pé por quase dois séculos mesmo sem haver qualquer lei que garantisse a sua preservação, já que o tombamento só ocorreu em 1938.

O motivo da preservação seria a religiosidade das famílias locais, parte das quais permanece no bairro até hoje. Segundo algumas fontes, o larguinho onde a Cruz do Pascoal está localizada seria um antigo ponto de orações e teria se transformado em local de peregrinação após a Igreja de Santo Antônio Além do Carmo - Foto de Toluaye em Wikimedia - BLOG LUGARES DE MEMÓRIAconstrução do oratório, mas sobre isso, não foi possível encontrar detalhes nem confirmação.

O Largo de Santo Antônio Além do Carmo

Se a Cruz do Pascoal é o ícone do bairro, a praça localizada no final da rua principal – a rua Direita – é o seu coração. Nela estão a igreja e o forte de mesmo nome, que além de integrarem a lista das construções históricas de Salvador, guardam a memória de importantes acontecimentos. Seu nome oficial é Praça Barão do triunfo, mas por influência da igreja, do forte e do próprio bairro, acabou sendo popularmente chamada de Largo de Santo Antônio Além do Carmo.

Como o próprio nome sugere, o bairro, a igreja, o forte e o largo de Santo Antônio Além do Carmo receberam esse nome por estarem localizados depois do portão do Convento do Carmo, o na época de sua construção (séculos 16 e 17, respectivamente)  indicava uma posição além da muralha que protegia a cidade. Tanto o forte como a igreja têm sua história associada à defesa de Salvador contra invasões holandesas.

A igreja atual, em estilo rococó, caracteriza-se, especialmente, por uma torre inacabada, que deu origem a algumas lendas. Uma das mais conhecidas narra a história de um coronel que deveria financiar a construção da segunda torre, mas decidiu só fazer isso quando a fiha se casasse e determinou que enquanto isso não acontecesse, a imagem do santo deveria ficar do lado de fora da igreja, ‘tomando chuva’. Ao que tudo indica a Forte de Santo Antônio Além do Carmo - Foto de Toluaye em Wikimedia - BLOG LUGARES DE MEMÓRIAfilha do coronel morreu solteira porque a igreja permanece com apenas uma torre e a imagem do santo continua do lado de fora.

A igreja de Santo Antônio Além do Carmo é o monumento mais antigo do bairro. Foi erguida em 1594, em forma de choupana de pau a pique, por um certo Cristóvão Dalton. Na época, além de estar fora dos limites da cidade, o largo onde a igreja está localizada era considerado zona rural.

Já o forte só foi erguido cerca de quatro décadas depois, e em forma de uma simples trincheira, em consequência da primeira invasão holandesa. Tanto a trincheira que deu origem ao forte como a igreja foram palco da resistência aos ataques holandeses e esse fato é lembrado em uma placa de mármore localizada na fachada da igreja. Foi também ali que o Padre Antônio Vieira pregou o sermão ‘À beira das trincheiras’ , dirigido às tropas de defesa da cidade.

O prédio da igreja mantém sua função original e segue abrigando anualmente a Trezena de Santo Antônio, que acontece entre os dias primeiro e 13 de junho, dando início ao ciclo de festejos juninos. Um dos pontos altos da festa é a distribuição do tradicional Pão dos Pobres. Já o forte, perdeu,Roda de Capoeira no Forte - Foto de Divulgação - com o tempo, sua razão de existir e passou a funcionar como presídio político. Nele estiveram detidos os integrantes de importantes movimentos como a Revolta dos Malês e a Sabinada e, mais recentemente, na décadas de 1960 e 1970, os presos políticos da Ditadura Militar.

Um resgate da cultura negra

Depois de anos abandonado após o fechamento do presídio, a história do forte teve uma reviravolta. A partir de 1981, o prédio passou a ser utilizado como sede de duas importantes escolas de capoeira:  a Academia de João Pequeno, discípulo de Mestre Pastinha, e a escola do Mestre Eziquiel, discípulo do Mestre Bimba. Em seguida, serviu como local de ensaio para o Bloco Afro Ilê Aiyê recebeu também o Grupo de Capoeira de Angola Pelourinho (GCAP), de Mestre Moraes. 

A ocupação do local pelos capoeiristas impulsionou a restauração do prédio e, em 2006, o antigo Forte de Santo Antônio Além do Carmo foi reinaugurado com novo nome. Passou a se chamar Forte da Capoeira e a funcionar como centro Centro de Referência, Pesquisa e Memória da Capoeira da Bahia. O prédio recebeu um memorial aos grandes mestres da Capoeira baiana, além de espaços destinados à realização de aulas,Fachada da Igreja dos Quinze Mistérios - Foto de Paul R. Burey - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA ensaios, treinamentos e apresentaçõas, não apenas de capoeira, mas também de outras manifestações afro-brasileiras como Maculelê e Samba de Roda.

O centro reúne, ainda, bilbioteca, videoteca, além de oficinas de produção de instrumentos como berimbaus e pandeiros. E, provavelmente para marcar a integração das duas culturas, quem chega ao centro cultural se depara na entrada com uma estátua de Ogum, que no sincretismo religioso da Bahia corresponde a Santo Antônio2.

Embora na história de Santo Antônio Além do Carmo – pelo menos a que é contada nas mídias e nas diversas instâncias turísticas – não haja praticamente nenhuma referência à cultura afro-brasileira, sabe-se que os negros estiveram presentes, nessa região de Salvador, das mais diversas formas: como escravizados em propriedades ruais, como soldados nas forças de resistência contra os holandeses, como presos no forte por terem participado da Revolta dos Malês.

Uma evidência física dessa presença é a Igreja dos 15 mistérios, que na verdade é uma capela inacabada, construída pela Confraria de Nossa Senhora do Rosário dos Quinze Mistérios dos Homens Pretos, criada dentro da Matriz de Santo Antônio. Há dúvidas sobre se o local onde se encontra essa pertence a Santo Antônio Além do Carmo, mas na época de sua construção certamente pertencia.

Casario de Santo Antônio Além do Carmo - Foto de Sylvia Leite - BLOG LUGARES DE MEMÓRIAUm bairro para se andar a pé

A visita aos monumentos ocupa uma grande parte do tempo de quem deseja conhecer o bairro, mas é preciso deixar umas horinhas para o passeio a pé, sem pressa, saboreando imagens típicas do lugar como o casario colorido, as fachadas de azulejos, as grades de ferro e as flores que sobem pelas paredes. Isso sem falar nos espaços culturais, museus, antiquários, ateliês, cafés, restaurantes e um ou outro comerciante informal que espalha peças antigas ou artesanais pelas calçadas.

Tudo isso, confere ao bairro um misto de tranquilidade e clima histórico cultural. E para completar, um dos acessos a Santo Antônjio Além do Carmo é feito por um plano inclinado que reforça a atmosfera nostalgica do local. Quem chega por lá se depara de imediato com a Cruz do Pascoal.

A vizinhança de Santo Antônio Além do CarmoVenda de peças antigas na rua - Foto de Sylvia Leite - BLOG LUGARES DE MEMÓRIA

Por ser um bairro minúsculo, talvez o menor de Salvador, e estar rodeado de lugares famosos, Santo Antônio Além do Carmo se confunde com sua vizihança. Muito próximo dali estão o Largo do Carmo, com um convento3 e uma igreja, também cenários da resistência contra os holandeses.

Na mesma área de Santo Antônio Além do Carmo encontra-se, ainda, a Igreja do Passo, com sua famosa escadaria de 55 degraus. Foi nessa escadaria que o diretor Anselmo Duarte gravou as célebres cenas de O Pagador de Promessas – único filme brasileiro a ganhar a Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes, na França, e o primeiro a ser indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Nessa mesma escadaria, décadas depois, o cantor norte-americano Paul Simon gravou, o videoclip The obvious child com participação do Olodum, e o cantor e compositor baiano Gerônimo Santana realizou inúmeros shows. Mas isso é assunto para outra matéria. 4

Notas

  • 1 Há quem argumente que um cidadão comum não poderia erguer tal monumento e que Pascoal Marques de Almeida deveria ser um padre apoiado pela comunidade e pelo governo
  • 2 Em Recife, Santo Antônio Corresponde a Xangô e no resto do país a Exu
  • 3 O Convento do Carmo foi transformado em hotel
  • 4 Leia, aqui no blog, sobre outros lugares históricos de Salvador: Elevador Lacerda / Forte de São Marcelo / Ribeira / Mercado Modelo / Farol da Barra

Santo Antônio Além do Carmo – Centro – Salvador- Bahia – Brasil – América do Sul

Texto

Fotos

  • (1,6,7) Sylvia Leite
  • (2 e 3) Toluaye em Wikimedia - Igreja e Forte
  • (4) Divulgação
  • (5) Paul R. Burley em Wikimedia - CC BY-SA 4.0

Consultoria

  • Mário César Dantas Rodrigues da Tao Engenharia

Participação especial

  • Lívia Rodrigues
  • Lúcia Almeida
  • Luciene Junqueira Ayres

Referências

Compartilhe »
Increva-se
Notificar quando
guest
10 Comentários
Avaliações misturadas ao texto
Ver todos os comentários
Sonia Pedrosa
2 anos atrás

Um bairro tão pequeno com tanta história! Mas o que mais me encanta são os nomes… Santo Antônio Além do Carmo, Nossa Senhora do Rosário dos 15 Mistérios dos Homens Pretos… tem coisa mais linda? Adorei, Sylvinha!

ANGELA MARTINS
ANGELA MARTINS
2 anos atrás

Acabei não visitando Santo Antônio Além do Carmo quando estive em Salvador. Adorei essa dica. Um lugar que vale a visita.

Xenia
Xenia
2 anos atrás

O texto das suas publicações ressignificam os lugares! Parabéns, Sylvia querida!

M Prado
M Prado
1 ano atrás

Belo roteiro para conhecer o bairro e sua história que se mantém residencial e turístico. Interessante relato como a sua geografia no centro histórico permanece no cenário cultural atual nos eventos religiosos, na vida social do bairro e ocupação do forte como espaço de referência da capoeira. Destaco as boas pousadas numa das quais estou hospedado e irei visitar o bairro com base no seu roteiro.

Diego Barreto
Diego Barreto
2 meses atrás

Ouvi muito uma história contada pelos locais de que a torre da Igreja de Santo Antônio Além do Carmo (a inacabada) na verdade, foi derrubada pelos canhões dos holandeses e por isso, a igreja só tem uma torre. Existe alguma verdade nessa história?